US proposes requiring automatic emergency braking in new vehicles



<html xmlns="http://www.w3.org/1999/xhtml"><head><title>UPDATE 1-US proposes requiring automatic emergency braking in new vehicles</title></head><body>

Adds comment from NHTSA, automaker group background in paragraphs 3-11

By David Shepardson

WASHINGTON, May 31 (Reuters) -The Biden administration on Wednesday proposed requiring automatic emergency braking (AEB)on all new passenger cars and light trucks and set new performance requirements, one of the most significant safety regulations proposed in recent years.

The new requirements proposed by the National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA) would require most vehicles to comply three years after being finalized and is expected to dramatically reduce crashes associated with pedestrians and rear-end crashes.

The auto safety agency projects the rule would save at least 360 lives and reduce injuries by at least 24,000 annually.

Congress directed NHTSA in the 2021 infrastructure law to create a rule to establish minimum performance standards for AEB systems, which use various sensors like cameras and radar to detect when a vehicle is close to crashing, and then automatically applies brakes if the driver has not done so.

NHTSA chief counsel Ann Carlson said the proposal seeks to "require all cars to be able to stop and avoid contact with a vehicle in front of them up to 62 miles per hour. And the proposal would require pedestrian AEB, including requiring that AEB recognize and avoid pedestrians at night."

The number of pedestrians killed in 2021 jumped 13% to 7,342, the highest number since 1981.

The Alliance for Automotive Innovation, a group representing major automakers, said it was reviewing the proposal.

The Insurance Institute for Highway Safety (IIHS) said requiring the system to prevent front-into-rear crashes at higher speeds "will improve the systems that are currently standard on most new vehicles.

In 2016, 20 automakers voluntarily agreed to make automatic emergency braking standard on nearly all U.S. vehicles by 2022.

In December, IIHS said 15 of the 20 automakers equipped at least 95% of vehicles with AEB, while General Motors GM.N had produced 73% of vehicles with AEB. GM said Wednesday it will make AEB standard on 98% of its 2023 model vehicles.



Reporting by David Shepardson; Editing by Chizu Nomiyama

</body></html>

Isenção de Responsabilidade: As entidades do XM Group proporcionam serviço de apenas-execução e acesso à nossa plataforma online de negociação, permitindo a visualização e/ou uso do conteúdo disponível no website ou através deste, o que não se destina a alterar ou a expandir o supracitado. Tal acesso e uso estão sempre sujeitos a: (i) Termos e Condições; (ii) Avisos de Risco; e (iii) Termos de Responsabilidade. Este, é desta forma, fornecido como informação generalizada. Particularmente, por favor esteja ciente que os conteúdos da nossa plataforma online de negociação não constituem solicitação ou oferta para iniciar qualquer transação nos mercados financeiros. Negociar em qualquer mercado financeiro envolve um nível de risco significativo de perda do capital.

Todo o material publicado na nossa plataforma de negociação online tem apenas objetivos educacionais/informativos e não contém — e não deve ser considerado conter — conselhos e recomendações financeiras, de negociação ou fiscalidade de investimentos, registo de preços de negociação, oferta e solicitação de transação em qualquer instrumento financeiro ou promoção financeira não solicitada direcionadas a si.

Qual conteúdo obtido por uma terceira parte, assim como o conteúdo preparado pela XM, tais como, opiniões, pesquisa, análises, preços, outra informação ou links para websites de terceiras partes contidos neste website são prestados "no estado em que se encontram", como um comentário de mercado generalizado e não constitui conselho de investimento. Na medida em que qualquer conteúdo é construído como pesquisa de investimento, deve considerar e aceitar que este não tem como objetivo e nem foi preparado de acordo com os requisitos legais concebidos para promover a independência da pesquisa de investimento, desta forma, deve ser considerado material de marketing sob as leis e regulações relevantes. Por favor, certifique-se que leu e compreendeu a nossa Notificação sobre Pesquisa de Investimento não-independente e o Aviso de Risco, relativos à informação supracitada, os quais podem ser acedidos aqui.

Usamos cookies para lhe dar a melhor experiência no nosso website. Ler mais ou alterar as configurações de cookies.

Aviso de risco: O seu capital está em risco. Os produtos alavancados podem não ser adequados para todos. Recomendamos que consulte a nossa Divulgação de Riscos.